sexta-feira, 30 de setembro de 2011



Seja você mesmo, simplesmente seja!


Seja você mesmo, simplesmente seja! Seja você onde quer que você vá. Seja você na rua, na igreja, na oração.
Seja você na conversa com Deus. Muitos se escondem deles mesmos na conversa com Deus, para que? Deus não sabe de suas profundidades? Dos seus medos, dos defeitos? Seja você e fale para Ele os seus podres, Ele é a melhor pessoa para você falar de suas mazelas. Não esconda nada de Deus. Se estiver com raiva Dele diga: Estou com raiva de Ti Deus! Se estiver satisfeito com Ele cante louvores de alegria, de exaltação, mas faça algo! Quem falou que Deus quer te fulminar? Quem colocou esta idéia em você? Foram os defensores incansáveis da fé? Os advogados de Deus? Está cheio de advogados de Deus em todo planeta: Fuja deles! Estes caras não entendem de Deus. Eles entendem de juízo, são conhecedores da Bíblia, sabem todos os versículos sobre o inferno, mas não conhecem com profundidade a Deus, são como o irmão do filho pródigo: são filhos, mas não conhecem direito o Pai.
Seja você na igreja, não seja “crente”, seja Cristão! Há uma grande diferença em ser um e outro: o primeiro todos podem ser; já o segundo somente pode ser quem experimentou a Deus, quem andou jornadas de crises com Ele e saiu vencedor, quem chorou e entendeu a graça, quem sentiu perdido e se encontrou de novo. Quem buscou o Caminho acabou por encontrar a Vida. Quem buscou a Vida encontrou a Verdade. Por tudo isto seja você. Não viva no conceito do outro, tenha você mesmo o conceito correto da Palavra.
Seja você mesmo: ande despreocupado nas calçadas dos ventos, deixe seus cabelos soltos serem levados pela chuva. Cante, chore na oração, chore de alegria, dê a mão ao outro no caminho. Ande pelos vales dos campos dos pastos verdejantes, pelas águas de descanso. E se vier o vale da sombra da morte? Ele é apenas um vale, do outro lado há um lago, há uma esperança, pois Tua mão e Teu cajado me consolam.
Prepara-me uma mesa perante os meus inimigos, prepare uma mesa para meu medo, para minha ansiedade, para minha rejeição. Faça que eu sente com eles nesta mesa, os conheça, os vença, os deixe no vale sombrio, pois sem eles, estarei sempre nos campos verdejantes.
Seja você mesmo, mas cuidado! Vão te chamar de louco, vão dizer que você delira, vão dizer que sua fé é duvidosa. Mas não importe, seja você, corra com os ventos, ande pelas chuvas, surfe nas ondas do Espírito, pois ele estará feliz com você, porque o mais Autêntico de todos morreu na cruz por mim, pagou caro pela minha loucura de ser eu mesmo. Seja simplesmente você! Paz!!!!!!
                                                                                      Silvério Peres.

quinta-feira, 22 de setembro de 2011

quinta-feira, 15 de setembro de 2011

Te render...

Te render minha adoração
Te tocar com a minha canção
deixar fluir minha devoção
e te dar mais...


Quero te entronizar, te glorificar
me prostrar aos Teus pés
e render minha vida
pois santo És.


Toda glória, todo louvor
eu me entrego pra sempre
ao teu amor.


letra e música: Cleber W. Martins

quarta-feira, 14 de setembro de 2011

Um verme, uma planta e um vento



JONAS 4.1-11

Tens compaixão da planta que te não custou trabalho... não hei de eu
ter compaixão da grande cidade de Nínive? (Jn 4.10,11.)

A história de Jonas é fantástica!
O Senhor o encarregara de ir a Nínive e anunciar que esta seria destruída.
Jonas, porém, sabia que o nosso Deus é clemente, e compassivo, e misericordioso,
e tardio em irar-se e grande em benignidade (v. 1). E por isso, com a
sua mensagem viria também uma chance para os ninivitas se arrependerem;
e isso ele não queria. Para Jonas, o melhor que poderia acontecer àquela nação
ímpia e cruel seria receber o castigo de seus atos: a condenação.
E ele passou por várias “peripécias”, sendo até mesmo engolido por um
gigantesco peixe, preparado por Deus. Em seguida, ele foi “vomitado” vivo em
terra. Deus queria ensinar lições eternas e profundas ao seu profeta.

Com a pregação e o testemunho vivo de Jonas, o povo de Nínive se arrependeu
e buscou o perdão. Isso desagradou profundamente ao profeta que,
indo para o lado oriental da cidade, “brigou” com Deus, dizendo: Tira-me a
vida, porque melhor me é morrer do que viver (v. 3). E construiu uma enramada
(cobertura) para si. Naquela noite, Deus fez crescer uma planta “miraculosa”
para dar-lhe sombra. Como Jonas se sentiu feliz com o cuidado de Deus!
No dia seguinte, ao despontar da alva, o Senhor mandou um verme, o
qual feriu a planta, e essa secou. Assim que o sol nasceu, Deus mandou um
calmoso vento oriental, e o sol batia forte na cabeça dele. Jonas reclamou e,
de novo, pediu a morte. E Deus mostrou-lhe como estava sendo egoísta ao
sofrer pela morte da planta e nem se importar com 120.000 pessoas que estavam
prestes a perecer na condenação. Com a sua história, Jonas aprendeu
e ensinou a misericórdia.

O coração do homem é egoísta e enganoso, mas o coração de Deus é
misericordioso. Dá-me, Senhor, um coração amoroso,
Quero me parecer contigo, sendo misericordioso.

Pai, todos os meus dias te pertencem. Ajuda-me a ser um vaso
de honra em tuas mãos. Um vaso cheio do teu óleo precioso
que amacia as engrenagens dos relacionamentos em con? ito
e traz vida por onde passa. Amém.

Ricardo Oli

terça-feira, 13 de setembro de 2011

O tamanho de Deus



SALMO 97.1-12

Reina o Senhor. Regozije-se a terra, alegrem-se as muitas ilhas. (Sl 97.1.)

Quem há tão grande como o nosso Deus?
A quem o poderemos comparar?
Quem há que tenha tanto poder
Que pode o vento reter,
O mar acalmar,
Fazer a tempestade lhe obedecer?
Quem foi que, do nada, tudo criou,
E que, apesar de tão grande, aqui desceu e nos amou?
Não há como medir o tamanho de Deus. Ele não cabe na imensidão do
Universo. Não existe um único lugar que seu Espírito não possa perscrutar.
Não existe uma única pessoa que não mereça a sua atenção e seu amor. Ele
é maravilhoso em seus planos e perfeito em suas obras.
Contudo, para muitos o Senhor está tão longe! E quando se está longe
de Deus, ele pode parecer muito pequeno e fraco.

Ao se chegar, por exemplo, em um mirante de onde se pode ver toda a
cidade, podemos colocar edifícios de dezenas de andares entre dois dedos:
o polegar e o indicador. O grande edifício fica pequeno, medindo centímetros,
quando se está longe dele. Assim também são as paisagens vistas de
avião. As pessoas ficam do tamanho de “formiguinhas”, até mesmo desaparecem,
e as casas e as grandes construções também se tornam minúsculas.
Mas, à medida que nos aproximamos dos prédios, eles vão ficando grandes,
e nós, pequenos.

Assim acontece com o nosso relacionamento com Deus. Quanto mais
próximos estamos dele, mais experimentamos do seu poder, de sua grandeza,
e vemos como somos pequenos e frágeis.
Qual é o tamanho de Deus para você? Dependerá da distância que você
se encontra dele.

Pai, quero achegar-me a ti cada dia mais. Quero conhecer-te
mais e o poder que emana de teu trono. Quero estar abrigado
à sombra de tuas asas e poder ouvir o pulsar de teu coração
em amor por todos os homens a quem eu devo pregar. Amém.
Ricardo Oli

segunda-feira, 12 de setembro de 2011

TOC... 1... 2... 3... 4... GRAVANDO...


SÁBADO DIA 10 DE SETEMBRO GRAVAMOS A GUIA DA MÚSICA "TE RENDER" COM A PARTICIPAÇÃO ESPECIALÍSSIMA DA CANTORA ALINE SILVA... CÉU NA TERRA...

LANÇAMENTO DO CD "És meu Senhor"